Des encontro



Não era a primeira vez. Poderia ser a última. A última vez que iria ao encontro ou que voltaria para casa? Sentia medo e prazer. Por que? Se não fosse o assunto encerraria. Um caso. Um acaso. Um ocaso.

Quem poderia dizer?

Voltaria pra mim. Deveria? Sim, deveria. Retomar-me. Retomar antiga relação. Duradoura, conhecida... Morna?

Quais não são? Tanto tempo, tantos ventos. Tempestades adestram sentimentos bravios.

E também. Preciso ser sincera. Passei da idade.

- Existe idade?

O fato é que me incomoda ter um... Caso. Afinal não somos todos adultos?

O correto seria enfrentar a situação. Sair do casamento e pronto.

Pronto?

Assim fácil?

Não tenho motivos pra sair dele. Nem Marcelo pra abandonar o seu. Só queremos nos ver de vez em quando. Trocar idéias. Rir.

O casamento conjuga muito o verbo compartilhar. Compartilhar problemas. Filhos, casa, dinheiro, saúde. E é sempre extensivo. Casa-se com a família toda. Jamais com apenas um alguém.

E o tempo? Ah! O tempo. O tempo nos faz conhecer muito o outro. Desculpa-se. Aceita-se demais.

Acho que preferia ter motivos para reclamar do meu. Mas não tenho.

Abro o armário e procuro um vestido.

Minha filha entra.

- Vai sair mãe?

- Não sei ainda.

- Se sair, volta pro jantar. Vi que você fez carne assada. Gosto muito.

Sorrio.

Recoloco o vestido no cabide.

Olho em volta. Tudo certo. Tão certo. Tão previsível.

Se for sem olhar pra trás? Com o tempo tudo se acomoda. Filhos crescem. Entendem.

Enquanto não entendem. Como fico?

Meu marido que se torna ex casa-se ou arranja um caso. É um homem atraente. De bem com a vida. Não vai ser difícil não.

E Marcelo? Quanto tempo vai levar pra sentir raiva de mim. O que era perfeito, se imperfeita.

Descalço os pés. Sobre minha cama prateleiras novas.

Sem habilidades pra marcenaria, penso em prateleiras. Sentimentos à mostra. Separados conforme minha necessidade ou prazer. Ver desgastes e poeiras.

Permitir-me.

Gavetas não quero. Elas escondem.

Enfio o vestido, pés descalços.

Se no caminho alguém perguntar.

Aonde você vai?

Responderei simplesmente:

- Construir prateleiras.

 

maria izabel