Mulher

Dia de feira.

A menina, levada pela mão da mãe olha interessada.

Cores formas e cheiros misturam-se. Barracas de colorido gasto atulhadas de frutas, verduras, flores, dividem seu olhar.

- Mãe quero pastel, sem nada dentro.

A mulher olha a filha e sorri: - Deixa fazer as compras, na saída eu dou.

Na barraca de plásticos, alguns brinquedos.

A criança olha e pede:- Quero uma varinha mágica.

- Mágica?

É, igual das fadas.

- Olha, diz o vendedor, isso aqui até parece uma.

A menina se esconde atrás da mãe:

- Não quero! Quero uma de verdade.

A mãe pensa, também queria uma.

A criança chora decepcionada. Decepcionada a mãe não pode chorar. Pega a filha ao colo, não percebe que também precisa de um.

- Olha, varinhas mágicas são difíceis de serem encontradas, mas você pode fazer de conta que a sua é, e ai pode imaginar qualquer coisa.

A criança recusa o brinquedo.

A mãe pensa no tempo que ela tem ainda antes de crescer:

- Vem, vamos comer pastel de vento.

maria izabel

 



voltar