Tatuagem

Sempre existe um culpado. Neste caso, os vestígios esparsos da lembrança e as cores daquela tela. Amalgamaram-se. Como um segredo antigo, visagem encantada, aquela ternura aflorou. Forte! Feito sorriso brincando nos olhos. Feito lágrima no travesseiro. Enfim me achei. O rapaz sorriu cúmplice ao pedido. E de olhos baixos me fiz pequena. Solitária tela. Imensa era a saudade tua que queimava em mim.

maria izabel

 

voltar