Fragmentos

Não eram saudades do mar. Nem da paisagem. Mas uma lembrança doce, pequena. Sobrevivente. Nas ruas estreitas, nas casas em tons de azul.
Ah, não me lembrava mais disso. Mas sentia. Pois a menina de ontem, desliza. Escorre das lembranças, saí pelas ruas ao encontro dos jasmins. Que plantado na porta das casas, em vasos ou nos jardins perfuma o calor da noite e impregna-se com força em mim.

maria izabel

 

voltar