Ocaso

Guardei uma imagem antiga. De mim. Pra lembrar que não mudei. Mudaram-se os tempos, os jeitos as possibilidades. Não sou jovem e não sou velha! Estou. Alguém que continua ágil. E o tempo? Ele sim envelheceu. Mas dentro de mim permaneço. Atemporal. Criança, menina, mulher. Então guardei em tela, antes que o tempo passasse e eu me esquecesse, ignorasse,dois instantes da e_terna essência em mim.

maria izabel

 

voltar