Relicário

Silenciosamente as pessoas reunidas no Rio da paz foram deixando oferendas. Coloridas lanternas, singelos origamis. Iluminados. Respeitosas as mãos mergulhavam ternura, afeto. Mãos calejadas pelo tempo, mãos recém iniciadas neste tempo. Delicadas, rudes... Reverente o rio observava. Na lembrança da tragédia, a constatação do irremediável.

Lanternas coloridas no Rio da paz. Luz das almas!

maria izabel

 

voltar