Sensações

 

Barulho rouco de trovão. Faíscas laranja riscam o cinza do céu.
O temporal desaba.Forte.
Incolor, a água amolece o marrom da terra, sacode e derruba folhas já amarelecidas.
Um cheiro provoca o ar, sobe, se insinua. Lembra o verde do capim santo que ladeia a casa antiga e azul.
Abro as janelas, a água fria, minha pele quente, suada.
Há uma música ao longe, no tempo, tocada por estrelas e temporais. Só eu escuto, só eu danço.
Perdida na chuva, sob as lembranças, danço pra você.
Estou toda sensações.

maria izabel

 

voltar