Nessa hora

Na solidão a sombra tece
meandros.
Sonâmbulos espaços ainda sem
luz.
Pequenos caminhos, frágeis
Que gestos delicados, refazem
Os tristes recantos e teu círculo de luz.

maria izabel

 

voltar