Reflexão

Enfim me habito,
desprovida dos sentimentos
mesquinhos e das ironias vazias,
me habito.

Descubro que uma ponte nova
se lança, e me lança
qual flecha certeira,
pra nova dimensão.

Assusto-me.
Tento voltar ao antigo,
ainda que horrendo
em toda sua clareza, agora.

Mas não há volta.

Então, me entrego ao arco
que ao me lançar, obriga
a ver o que existe além
e recomeçar.
 

maria izabel

 

voltar